31 de julho de 2010

Faz-me rir...

E vejam só que coincidência, além de mim , o jornal O Liberal também mente em suas notícias e reportagens...

Vejam, por exemplo, a manchete do caderno polícia deste sábado, dia 31 de julho:

Traficantes mortos na reserva Tembé

Vítimas de disputas de traficantes que agem na área foram enterradas no local

Local de inúmeros conflitos envolvendo madeireiros e posseiros e também conhecida por ser uma área onde é comum o plantio de maconha, a reserva indígena dos índios Tembé, no trecho que fica na divisa do Pará com o Maranhão, agora é lugar de disputa e acerto de contas entre traficantes. Numa dessas disputas, pelo menos dois deles foram mortos a bala e enterrados na própria reserva, no trecho que fica entre o Pará e o Maranhão, tendo como divisa rio Gurupi. A informação foi fornecida ontem pelo delegado Marcos Alberto Pereira dos Santos, que atualmente responde pelas delegacias de Santa Luzia do Pará e Cachoeira do Piriá.

Segundo ele, um menor preso durante incursão promovida pelo delegado e sua equipe na região de Cachoeira, com o objetivo de localizar uma plantação de maconha, contou como ocorrera a morte dos traficantes conhecidos por "Come Gato" e "Cantor", e indicou o lugar onde ambos foram enterrados, em cova rasa, próximo à Vila União. O rapaz de 17 anos disse também quem autorizara a execução dos dois homens: a traficante Luciene Vieira da Silva, a "Lúcia" de 39 anos. A mulher foi presa na tarde da última quinta-feira, com cerca de 150 quilos de maconha pronta para ser comercializada.

(EDIVALDO MENDES - Correspondente em Castanhal)

E o pior até o delegado Marcos Alberto Pereira dos Santos, delegado da região de Santa Luzia do Pará e Cachoeira do Piriá está criando histórias também, a tribo dos tembé nem fica perto da área onde foram encontrados o corpo, a droga e outras coisinhas, né?...Esse povo é mesmo um bando de víboras...

KKKKKKK. Faz-me rir...

30 de julho de 2010

Plantação de maconha, corpo e presos na área de reserva indígena em Santa Luzia.

A polícia conjunta - militar e civil - realiza desde hoje pela manhã uma operação na Reserva Alto Rio Guamá e informou que numa área pertencente à tribo dos tembés foi encontrada uma imensa plantação de maconha – plantação maior que a encontrada e queimada pelo exército em abril na "Operação Piriá” na mesma reserva.

Ao total a polícia acredita que foram encontrados 40 mil pés de maconha, em oito hectares de terra. As plantações serão arrancadas e queimadas. Um casal de traficante foi preso e está a disposição da justiça na delegacia de Santa Luzia.

Porém o que mais chamou a atenção dos policiais foi a descoberta de um corpo de um homem ainda não identificado que foi morto e enterrado numa cova rasa. O Instituto de perícia foi solicitado ao local e novos corpos podem ser encontrados a qualquer momento porque a polícia inrfou que foi descoberto um cemitério clandestino também.

Com a chegada dos técnicos da Funai e dos homens da polícia, os plantadores escaparam pelo meio da mata e só as duas pessoas presas na cidade foram pegas na fuga.

Os militares que participaram da operação suspeitam que há grandes plantações de maconha na reserva, com dimensões ainda desconhecidas. A reserva dos tembés tem 278 mil hectares, e abrange parte dos municípios de Santa Luzia do Pará, Nova Esperança do Piriá e Paragominas.

Além das plantanções de maconha, foram encontradas várias áreas de floresta destruídas por madeireiros que invadiram a reserva e provocaram os desmatamentos ilegais. Os policiais afirmaram também que dentro da reserva foram localizadas até fazendas de criação de gado, pequenas criações e várias plantações de roça.

A equipe que participou da operação também constatou que muitos invasores das terras dos índios sobrevivem do plantio de maconha e plantaram maconha na reserva para driblar a fiscalização, mas foram pegos de surpresa nesta missão.

A Funai entende que, para acabar com o plantio de maconha, invasão, tráfico de animais silvestres e retirada de madeira da Reserva Alto Rio Guamá, vai precisar da ajuda dos órgãos que participaram da equipe de operação especializada (Polícia Federal, Exército e Batalhão Ambiental da PM), além do Ibama e de outros órgãos ligados à questão ambiental que estejam dispostos a colaborar.

Moradores que vivem em vilas e lugarejos nos arredores da reserva afirmam que as plantações da droga e os desmatamentos são praticados aos olhos dos próprios índios que fazem vista grossa e ganham com o lucro gerado nessas atividades ilegais.

OBS: Para quem não lembra, os tembés são aquele grupo de índios que deram o que falar nas últimas eleições para prefeito. Aqueles do problemão que deu a diferença de 69 votos e que por ironia do destino votaram, todos, no atual prefeito municipal.

Transcrição feita da notícia da em primeira mão pelo jornal televisivo "O Liberal" –primeira edição -Belém-PA

RAPIDINHA...

E com a notícia confirmada de que o Zé Netto não vai concorrer a este pleito, retiramos do blog a sua biografia política...

Estranho, muito estranho...MAS, bom para o Edno Alves que vai somando de dois em dois e vai chegando no páreo

POLÍTICA SÓ AMANHÃ!


E depois de tanta briga e discussões políticas - discussões que cansam até a mim que escrevo para este blog – e tantas decepções quando debatemos o assunto, é bom lembrarmos que ainda existem sim alguns bons exemplos que é pra não perdermos a esperança e não deixar que "o tudo está perdido" invada o nosso peito de uma vez.

É essa a sensação que me ocorre sempre que eu escrevo sobre o assunto. Ir a Santa Luzia sempre me traz essa nostalgia, a conclusão de ter de aceitar que não há, ou não ouve nenhum político verdadeiramente digno de nos fazer o bem e nos doar a sua honestidade. Eu odiava política, tanto que o meu blog começou taxativo: “política só amanhã” e hoje a maior parte das nossas postagens é sobre esse tema. Não que eu queira, mas a cidade vive disso. A política é o assunto mais discutido nas rodadas e conversas do nosso município. Ninguém vai a um almoço na casa de um amigo se não pra falar disso. Ninguém pode sentar num banco da praça senão pra falar disso. Na igreja, agora, só se fala nisso e na internet é uma assertiva: POLÍTICA, política,política!

No domingo passado num churrasco que fui na casa do Jorginho a discussão estava tão acirrada que a mulherada toda pegou o seu banquinho e saiu de mansinho para a sala da residência. Eu fiquei pelo mesmo motivo que eu ainda insisto em escrever: A CERTEZA QUE OS BONS ARGUMENTOS PODEM MUDAR O QUADRO.

Evitar falar do assunto é pior. Pior porque muita gente fica sem posições e opiniões. Pior porque muitos dos indecisos votarão sem consciência. Pior porque se não falarmos, se não gritarmos, o voto comprado nunca vai ter um fim.

É preciso falar.É necessário esclarecer, por isso eu não tenho e nem posso ter um lado certo. Porque assim não consigo ser imparcial e acabo por influenciar as pessoas a acreditarem no que eu acredito e ai vai dá no mesmo: A FALTA DE DECISÃO PRÓPRIA! Que é um erro! Somos livres e por isso deveríamos ter nosso direito de escolha respeitado mas o nosso cordão umbilical já vem impregnado desse gen maldito.

Em Santa Luzia, as pessoas nascem numa família e antes de ganhar um nome, ganham um partido. Se aqueles como eu resolvem negar essa ideia é tido como Judas, traidor. Quem é do PT é cego e não admite os erros cometidos. Quem é do PR, PSDB ou DEM é igualmente caolho.

Por isso a política dá intriga. Por isso a minha briga com o Jorginho que insiste em dizer que Santa Luzia é bipartidária e que nenhuma outra influência poderá colher frutos na cidade.Um terceiro grupo é sonho utópico dizem muitos - e ele. Mas por quê? Por que não pode surgir pra nós uma outra opção? Por que nascemos subjulgados a esse duelo, a esse diálogo que não nos deixa uma múltipla escolha?

E quando surge, a história me prova que o Jorginho está certo. Quantas vezes eu não ouvi de amigos que votariam num ou noutro pela falta de opção. FALTA DE OPÇÃO? Um absurdo. Santa Luzia já teve uma terceira chapa e o povo renegou. Quando o Edno foi vice na chapa do Nando num acordo histórico, independente e, creio eu honesto, os dois tiveram pouco mais de 500 votos. Isso prova que as urnas indicaram outros caminhos mas a população só entra no jogo quando ele é bipartidário.

Os eleitores não levantam outra bandeira senão aquelas que tenham o vermelho e o azul. É, Jorginho, você está certo, amigo - e mais uma vez. E o bom de ter que discutir contigo é que eu sei que não ganharei um inimigo. Não aceito muitas das tuas decisões e continuo entrando na tua casa, mas em Santa Luzia nem sempre é assim. A dona política em anos tem deixado um rastro de desavenças e rancores que a história não é capaz de descrever porque é objetiva demais.

O Jorginho que muitas vezes eu vi levantar o bastão vermelho hoje é opositor ferrenho do PT. O Dinho que tantas vezes eu vi cantar a canção da Fafá nas campanhas com o coração em forma de treze hoje nos emociona com sua frustrante decepção, eu que na política fui mais PT que Brasil em dia de Copa, nem sei mais o que fazer e tantos outros decepcionados, chorosos, entristecidos com os seus sonhos...E MUITOS que nem sabem mais no que acreditar.

É tão estressante e decepcionante falar de política na minha cidade que a gente já até entregou pra Deus. Talvez por isso, o terceiro grupo poderá sair de lá, de dentro da Matriz. É a mamãe quem sempre repete: “Só mesmo um padre pra mudar essa história!”. Será? Sei não. Só sei que de tudo o que eu conheço, vejo e ouço, já temos um prefeito ideal, mas ele, por enquanto, se satisfaz em servir hóstias em cima de um altar.

Deus nos abençoe!

E O PRÊMIO VAI PARA...

Pensando nisso tudo e em tudo o que eu reflito em dia de folga como este, eu resolvi falar um pouco daquelas pessoas que merecem o nosso respeito por não terem decepcionado tanto - sim porque bastou ser político para decepcionar - mas ainda existem aqueles que seguem uma linha menos agressiva quando o assunto é dinheiro público, verbas públicas e respeito à população.

É sempre bom saudar aqueles que de certa forma são dignos e coerentes com a sua função. Eu ainda não era a professora que sou quando adentrei depois de muito tempo longe aquela sala de aula e sentei meio tímida naquela cadeira de madeira que num súbito movimento meu fazia um barulhinho irritante e suficiente pra chamar a atenção de todos num dia qualquer de aula. A cadeira só não deixava conveniente o outro som vindo do velho ventilador parafusado no centro da sala num teto de madeira e telhas de barro. Barulho de início de noite numa cidade já grande mas ainda com costumes pequenos. Santa Luzia já tinha um pouco de asfalto nas ruas quando eu voltei pra lá depois de muitos insucessos na capital, mas não era tão movida a motor naquele tempo (ano de 2000). A sala do terceiro ano técnico em Magistério era silenciosa porque era cheia de gente como eu, cansada de perdas e empurrões. Éramos adultos e isso facilitada a didática de professores como ele que de tão jovens tinham uma fugacidade invejosa. Cheio de planos e recém chegado da faculdade o professor Edson Farias me entusiasmava – ele e a Rórima, minha professora de Artes. Os dois eram com o tempo o que eu queria ser mas não nas turmas de escola pública.


O Edson Farias era nosso professor de Literatura e fazia o seu ofício com uma ansiedade admirável. Fui colega de classe do Mano, que hoje é medico, da Régia que hoje é o que sempre foi, alegre,louca, ousada e responsável no seu trabalho e nós adorávamos a aula dos dois. E, desde lá, aquele professor magrelo e tido como um dos melhores jogadores de futebol da cidade já tinha planos políticos.


Num tempo em que falar de política ainda não era discurso de campanha ele nos contava de coisas que até hoje eu lembro. Planos e projetos para que aquele ventilador fosse substituído por aparelho de ar condicionado porque central de ar não era uma realidade ainda. Desejo de que a cidade tivesse um campus da universidade, um hospital aparelhado com equipamentos de primeira, torneios de futebol e vôlei, campeonatos intermunicipais.

Mas dentre aulas e poemas de Camões o que mais lhe fazia sonhar era ver um dia o PT na prefeitura. Naquele tempo, eu sei, ele pensou que seria fácil. Ele não, nós.

Aquela leva de gente jovem e idealista que nem sabia direito o que era política gostava de ser chamado de MILITANTE a gente ganhava status quando era seguidor da causa petista, parecia que ser d PT era ser intelectual e a gente gostava daquilo.Revolucionar, ser um revolucionário era mais que um orgulho, era saber que só nós podíamos mudar e abalar as estruturas do poder político.

Ledo engano!Por isso não gosto de criticar o Louro, acho ele ainda um homem honesto e cheio de boas intenções,critico a sua base que não soube o que fazer quando pegou as rédeas do governo e viu que o negócio era diferente e fez o que fez e faz o que ainda faz.

Muitos dos nossos viram de perto que a teoria não igual à prática e que falar que vai fazer não significa fazer de fato.

Eu sai de lá antes de sua vitória política e não votei nele porque o meu irmão Nando decidiu também adentrar esses confins desastrosos da política luziense, mas sei que na primeira campanha obteve insucessos. Foi candidato, somou 341, uma quantidade até maior que a obtida pela vereadora eleita Socorro Saldanha, mas por conta da coligação amargou uma derrota. No segundo pleito conseguiu passar com uma quantidade expressiva (448 votos) e foi eleito vereador do município.

Hoje o Edson Farias é vereador e o lembrete do nome dele é para prestigiá-lo com sendo um dos políticos que menos se envolve com crimes e desvio de verbas e acordos políticos mal feitos. Merece a nossa lembrança, carece do nosso respeito. Não sou fiscal do controladoria do município ou da união mas visivelmente entendo que de lá pra cá, posso afirmar que ele tem vivido com seu salário de vereador e continua sendo uma excelente pessoa: simples, humilde e honestamente.

É vereador e não deixou de ser professor, tem uma casa razoável, digna e condizente com o seu valor líquido, tem uma boa reputação na cidade, não é uma pessoa arrogante e ainda tem cara de homem que não se vendeu às ilusões do dinheiro farto e sujo.


Não mudou nada, ainda hoje joga o seu futebol, é casado com a mesma mulher, tem filho, uma família e ainda vai à Florentina ministrar as suas aulas como sempre...Só que agora com uma diferença: chega de carro e não mais pedalando a sua antiga bicicleta.O que é justo.

Não sou contra as pessoas melhorarem de vida, só renego a ideia de elas virarem mutantes e de uma hora pra outra, aqueles que eram o Daví passam a ser Golias.


PARABÉNS, professor, esta homenagem é pra deixar uma gota de esperança , nem que seja mínima, que ainda existem nesse lugar, pessoas em quem podemos confiar - Não és melhor porque és político.

OBS: E se você tem um político que merece ser lembrado aqui, mande um recadinho pra gente que postamos o texto na maior felicidade. Semana que vem tem mais!

29 de julho de 2010

ACHEI...

É do site OFICIAL da Controladoria Geral da União no link intitulado “Auditoria e Fiscalização” no item “Avaliação da Execução de Programas de Governo” a respeito do Sorteio de Municípios a passarem pela auditoria da CGU que tomamos como correta a informação dada ao blog pelo deputado Adamor Aires sobre as contas do seu irmão Mico, prefeito de Santa Luzia em 2004.

O site informa que Santa Luzia foi sorteada no primeiro semestre no 8º Sorteio Público de Municípios realizado em 30/03/2004 e passou pela inspeção no segundo bimestre, o que significa afirmar que as contas que foram analisadas e negativadas eram de fato do então prefeito Nato Costa, gestor no ano de 2003 e cassado pela Câmara Municipal por desvio de verbas, cassação comandada inclusive pelo vereador Adamor, na época, presidente da Câmara Municipal de Santa Luzia.

Na lista de áreas municipais que receberão fiscalização especial da Controladoria-Geral da União (CGU), definidas em sorteio público realizado em 30/03/2004, no auditório da Caixa Econômica Federal, em Brasília, Santa Luzia do Pará aparece na 31º posição seguida da cidade de Moju que também foi selecionada entre as cidades aqui no nosso estado.

ASSIM, RETIFICANDO a postagem "MAS", postada neste blog:

NO ANO DE 2004 O PREFEITO DE SANTA LUZIA EM EXERCÍCIO ERA SIM O MICO OLIVEIRA, VICE DE NATO e QUE FOI IMPOSSADO DEVIDO AO PROCESSO DE CASSAÇÃO DO PREFEITO ELEITO, MAS AS CONTAS COM IRREGULARIDADES SINALIZADAS PELA CGU NÃO PERTENCEM AO MICO E SIM AO PREFEITO AFASTADO - NO CASO, NATO COSTA.

Nossa página assinala aqui um pedido de desculpas ao MICO por ter feito menções errôneas acerca de seu nome e de sua integridade moral e política.

Com isso, voltamos a estaca zero:

MAS ESCLARECIDAS AS DÚVIDAS DO ANO DE 2004 o problema ainda persiste em 2009 NA GESTÃO PETISTA que me parece, não tem realmente nada a declarar.

E DEPOIS DESSA EU TORNO A DIZER, CONTRA FATOS NÃO HÁ AGURMENTOS....E MAIS, QUEM NÃO DEVE NÃO TEME!

Valeu Adamor, conte comigo e qualquer constarngimento, desconsidere.

QUEM FALA O QUE QUER OUVE...

E ainda hoje recebi a visita ao blog do deputado Adamor Aires que dá informações sobre a sua saúde e sua recuperação. Li os recados, já os publiquei mas acho insuficiente que eles fiquem liberados e implícitos e por isso estou transcrevendo as palavras escritas pelo Adamor em comentários e respostas a minha pessoa.

O primeiro nos foi enviado na postagem SILÊNCIO, leiam:

Obrigado pelo carinho, Júnia. Já estou em casa me recuperando da cirurgia. Vejo que os ânimos continuam acirrados em Santa Luzia.Um pouco menos, diante dos nossos pleitos para que as pessoas respeitem o seu próximo.Independentemente da coloração partidária, meu desejo é que as disputas politicas na nossa terra sejam mais amistosas e com bom senso. Chega de agressões gratuitas e desnecessárias. Não compactuo com esses procedimentos rasteiros.

Neste ano, resolvi não disputar a reeleição, por motivos relevantes que,na hora oportuna,explicarei aos meus eleitores e amigos.

Estou retornando à advocacia,com o fim do meu mandato em 31 de janeiro de 2011. Mas posso lhe assegurar que vou continuar servindo a nossa região. Não estou abandonando a Politica. Será uma pausa prevista e relativizada para tomar novo fôlego e tocar outros

projetos,partidários ou não. Quanto a esta eleição de 2010, respeito a posição e a candidatura de qualquer um. Todas são legitimas. Apenas me reservo ao direito de apresentar ao meu grupo politico as preferencias que tenho para indicar ao eleitorado as pessoas e candidatos com chances de vitórias para representar o nosso municipio. Assim que me recuperar da cirurgia, estarei explicando aos nossos amigos a minha humilde opinião sobre o bom embate que se avizinha.

Saudades.

Adamor Aires

O segundo foi dirigido ao meu comentário sobre os dados divulgados pela CGU na postagem intitulada MAS, leiam:

Sei das enormes e fatigantes tarefas que lhe impõe o cotidiano.Por isso, compreendo que muitas vezes vc não disponibiliza de tempo para um aprofundamento sobre determinada matéria. A CGU, através de sorteios publicos,já realizou 02 auditorias em Santa Luzia do Pará. Uma no inicio de 2004 e outra em 2009. A primeira,não abrangeu o período de 2004 durante o curto periodo de gestão do Mico. A segunda, em 2009,fiscalizou a gestão Louro. Portanto, creio que houve um lapso de sua parte ao comentar de possiveis irregularidades supostamente cometidas na gestão Mico. Não quero aqui acusar ninguém, mas creio que a verdade precisa ser reposta, levando-se em conta,principalmente, a credibilidade que vc goza junto aos nossos conterrâneos.

um forte abraço.

Amigo e fã.

Estou explicitando na íntegra o comentário do deputado para sinalizar que eu não me proponho a debates solitários. Aquilo que for questionável e valer da outra parte um direito a respostas, o blog Santa Luzia recebe e sem nenhum problema e respeitando o direito de defesa do outro, vai divulgar.

Comparei as datas e expus o meu ponto de vista baseado na historia política de nosso município, que certifica o ano de 2004 ao comando do naquela época prefeito Mico, mas se, a auditoria foi feita no inicio deste ano, as contas revisadas foram as do ano de 2003 e assim não é da responsabilidade do irmão do deputado.MAS vamos buscar a data do relatório pra não deixar dúvidas e também pra evitar possíveis desentendimentos.

Assim, gostaria de disponibilizar aos leitores desta página a forma com a qual o Adamor Aires me escreveu. Elogiar o debate sadio apesar dos idéias divergentes e conclusões contrárias. Por isso estou expondo o seu comentário, pra informar que as discussões são sadias e aceitas e só não serão bem vindas quando contiverem ofensas e agressões verbais.

FOI ASSIM COM O TIÃO OLIVEIRA quando este blog direcionou uma matéria rebatendo alguns feitos seus. Foi assim com o RAIMUNDO BELO que nos pediu para que retirássemos o texto que se referia a sua biografia política, foi assim com o vereador NEGUINHO COCO, com o vereador FRANÇO e está sendo assim com o ADAMOR, leia-se MICO.

Vou buscar a data e se as informações forem confirmadas, a página fará uma observação e um pedido de desculpas.

Boa Noite, deputado, e boa recuperação na saúde.

O PASSADO É UMA PARADA: A ÉPOCA DOS PIQUENIQUES

E eu estou de férias e cheia de vontade de escrever. Vou começar a trabalhar já nesta segunda-feira e por isso o tempo ficará mais curto e eu não poderia deixar de esquecer de fazer a postagem na página que é a que todo mundo mais gosta:

O PASSADO É UMA PARADA!

E hoje a lembrança saiu direto do fundo daquele baú...velho, empoeirado e cheio de boas e engraçadas lembranças.

A ÉPOCA DOS PIQUENIQUES:


Pequeinique feito pela turma do CEPEV em comemoração ao feriado do dia dos professores.

Piquenique, palavra que faz lembrar a qualquer luziense aquela velha panela de plástico ou mesmo alumínio que a mãe escolhia na madrugada para acolher a farofa misturada com maçarão e feijão envolvidos naquele franco bem assadinho que a gente via e sentia assar mas não podia degustar antes do tempo.


A turma dos Jovens de Cristo em passeio para o Caeté depois da turnê feita pela peça "Paixão e Morte de Cristo"

É inesquecível aquela cena dos moleques acordando de manhã bem cedo e sendo forçados a fazer a escovação dos dentes para provar do café e se arrumar para a espera do ônibus que saia sempre dalí, do lado da Matriz.


Turma da catequese e do grupo de Jovens da paróquia em pequenique depois das festividades religiosas.

Férias em Santa Luzia tem cheiro de frango assado e banana na sacola. Passeio em Santa Luzia tem jeito da galera chegando em Salinas correndo atrás de peixe olhudo na beirada da água. Piquenique em Santa Luzia tem gosto de tampa abrindo e vapor transformado em água molhando a farofa e fazendo chibé do almoço. Folga no 47 tem gosto de Caeté e churrasqueira acesa na beirada da palhoça, bola e menino mergulhando e engolindo catarro, menina de olhos vermelhos que engole água e cansa de tanto cuspir.

Santa Luzia já teve tempos bons para se passar as férias. Carro lotado, menino de bola e bóia na mão,saco de farinha entre as bagagens e muita, muita sacanagem nas brincadeiras de bola e rodadas de conversas.

INESQUECÍVEL! Quem morou em Santa Luzia e nunca foi a um piquenique não foi feliz.


Lembro que a parada obrigatória, o destino preferido era sempre o balneário, nosso famoso Caeté – rio lá de dentro porque o de fora era muito fundo pra moleque danado que não dava ouvido aos conselhos do pai. O carro parava, a moça vinha tirar a corrente e cobrar a entrada e muitos de nos já descia do ônibus e chispava correndo rumo ao igarapé.


Eu e o Jorginho num passeio que fizemos num dia depois da Festa das Flores não sei de que ano.

Pegar um lugar debaixo de uma arvore, escolher uma churrasqueira, dar o primeiro mergulho, correr atrás da bola, chorar por aquela laranja quente de boca já feita, aquela tangerina azeda e um pouco de farofa. Pular da árvore, atravessar pro outro lado sem que o pai veja, adentrar a mata pra ir dá uma olhada no banho do lado proibido, catar caju, apanhar ingá....UFA!!! É tanta lembrança que faz o coração amargar!

Selecionamos algumas lembranças que é para matar a saudade e vão confirmar também que o nosso passado é relamente uma parada! Vamos lá:


Aqui, em pose tradicional perto das árvores do rio Caeté, a minha amiga Simone. KKKKKK. UMA PIADA!


Aqui os meninos mais simpáticos do grupode jovensnumas sungas estilo CUECÃO DE COURO, MANO!!!KKKKKK. Destaque para o Doriedson.

O PASSADO É UMA PARADA: A ÉPOCA DOS PIQUENIQUES

Mas não era só de Caeté que vivia o lazer em Santa Luzia não. Tem também um dos lugares mais lindos e mais marcantes da nossa juventude. A CACHOEIRINHA.


Galera toda preparada para a saída rumo a um dos lugares que mais marcou a minha lembrança.

E pra não dizerem que eu só avacalho com os outros, estou postando as fotos de um passeio que fizemos à cachoeirinha do Jacarecuara: eu e uma turma pra lá de conhecida na época da nossa adolescência.


Aqui, eu a Simone e a Cristina (KKKKKK). Essa foto podre e a paisagem - o açude do Ozório. Pobre é emsmo uma piada!


E olha a gente aqui fazendo a maior pose trapados em cima de uma das rampas de piçarra que ficaram depois da escavação do açude lá na fazenda da dona Vera.


Era fevereiro e nós fizemos um piquenique para a cachoeira para comemorarmos a aprovação do Jorginho, do Flávio e do Junior, meu irmão, no vestibular.


Os meninos fizeram bonito no listão da Ufpa nós não deixamos o feito passar em branco. Arrumamos a farofa, compramos a carne e nos preparamos para as pedaladas. UMA MARAVILHA!!!! TUDO DE BOM PONTO COM!

Lembro que a Simone e o Nego estavam recém casados e eram mortos de amor um pelo outro.Eles foram conosco e o passeio foi regado de muitas senas picantes de amor e carinho. MUITO BACANA!


Olha só os dois aí no maior amor...muito lindo!


Gosto de lembrar o passado e ver as fotos traz sempre muitos sorrisos e algumas lágrimas. As fotos foram feitas em maquinas Love, naquelas maquinas de fotografia que a gente tinha que comprar filme e mandar revelar, a manivela, mano, com direito a roleta e tudo para passar a pose. KKKKKKKKKKK. MARAVILHOSO!

E pra matrmos a saudade de outros banhos e lugares que faziam a nossa alegria, selecionei algumas imagens daquelas fotos tradicionais que todo mundo fazia quando participava de um pequenique:


Thaisa na maior pose no Japim - um rio lindo e longe mas que a gente adorava.


Francisca na maior beleza no rio do Japim. A Fran era uma das meninas mais bonitas da cidade e foi até convidada para fazer fotos para o jornal, está aqui a foto.


Jorginho e sua peformance galã da globo na cachoeira. MUITO LINDO!

SAUDADES desse tempo. BEIJOS AOS AMIGOS!

Meu Calhambeque, bi-bi.

E sobre o recadinho que eu postei mandado por um leitor ao blog, um comentário.

VERGONHA, em 27/07/2010

"Se eu fosse o prefeito eu devolveria aquele carrão, pois pegou mal a publicação do jornal liberal logo depois dele comprar ese carro. que vergonha!!!!"

De novo o problema da compra de um carro. Mas vamos lá:

Nós já passamos por isso outras vezes quando o Gedson trocou de veículo e todo mundo veio ao blog criticar. Fui até Santa Luzia e conversei com o próprio e ele me afirmou que o "carrão" que hoje ele dirige não é dele e que foi alugado pela sua secretaria para fins de trabalho e locomoção, o que é legal e está assegurado pelas vias da lei.

O Gedson, na época disponibilizou a placa do automóvel e nós confirmamos, via DETRAN, que o veiculo era de propriedade de uma locadora que funciona diariamente em Castanhal – sem problemas. O secretario de finanças tem um carro que está plaqueado no nome de sua esposa, a Aila e isso é normal. SEM PROBLEMAS!

Outra vez tivemos um desentendimento por conta do carro adquirido pelo, na época, chefe de gabinete do prefeito, o Edson Martins, que apareceu na cidade posando de filhinho de papai com um ‘carrão’ que segundo às más línguas custava o olho da cara,mas uma boa conversa com o dono do veiculo nos possibilitou, aqui no blog, a sua defesa. O carro era novo,mas pelo ano e valor, dava sim para ser adquirido por ele. TUDO CERTO. SEM PROBLEMAS!

Agora, o prefeito resolveu abalar as estruturas e quase mata o povo de susto quando resolveu desfilar pelas ruas da cidade com o seu motor em arranque de um número invejável de cavalos projetada para 16 válvulas e que custa nada mais nada menos que R$ 163.500. Uma bolada!INVEJÁVEL!!!


MAS...cuidado antes de jogar pedra no executivo luziense...

Prefeitos têm algumas regalias dados a ele pela lei de verbas e gastos da prefeitura. O prefeito de uma cidade disponibiliza de vantagens que são somas de benefícios oferecidos a quem exerce cargos desse tipo. Verbas indenizatórias e verbas de gabinete que são destinadas a compra e a despesas do executivo com veículo oficial, alimentação e outros gastos.

ASSIM o Louro pode sim sair por aí dirigindo esse carrão, MAS...

Conversei ontem com uma amigo meu que trabalha no Tribunal eleitoral e ele me esclareceu algumas dúvidas. Vamos lá:

O carro adquirido com as verbas de gabinetes os as indenizatórias, são para a compra de um veiculo oficial. O que significa isso? Que o carro não é de posse do prefeito e sim da prefeitura e por isso não pode ser usado apenas para fins pessoais ou questionáveis. A placa, por exemplo, deve ter a característica de carros desse tipo (cor branca), mas se isso não ocorrer o prefeito pode alegar a irregularidade por conta de sua segurança pessoal e como Santa Luzia tem um histórico ruim de violência o carro pode sim ter a placa cinza, de automotivos comuns.

Assim, se o veículo for um carro oficial, TUDO CERTO. SEM PROBLEMAS. Mas, é bom lembrar que o veiculo, depois do mandato do Louro, deve ficar para a prefeitura e ser entregue ao legislador que ocupar o cargo depois dele porque é bem do município e não do prefeito. HUM...

Existem outros meios também e legais de adquirir veículos desse tipo pela prefeitura: o uso de verbas vindas do Fundo participativo da União para a saúde e para a educação, mas o veículo deve também ser plaqueado oficialmente ou precisa estar adesivado com o nome do projeto e secretaria que o utiliza para fins de trabalho - e exclusivamente pra isso. Veículos desse tipo, da prefeitura ou alugados por ela, não podem, por exemplo, servir de meio de transporte para passeios dos secretários, filhos ou parentes a balneário e piqueniques. ISSO É ILEGAL e PODE ATÉ ACABAR EM CASSAÇÃO! Quem flagrar algo desse tipo é só fotografar e denunciar ao Ministério Público.

Vejamos alguns casos que chamaram a atenção da imprensa no Brasil:

Prefeito usa verba do Fundef pra comprar Hilux

A Justiça Federal anulou ato e abriu processo de cassação por improbidade administrativa contra o prefeito de Várzea Grande,Piauí, Luís Nunes Ribeiro Filho (PSB). Ele foi acusado pelo Ministério Público Federal de utilização indevida de recursos do Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério) na compra de uma caminhoneta modelo Hilux com dinheiro de uso exclusivo da educação para utilização pelo Gabinete do Prefeito.

A utilização do veículo foi considerada ilegal e, por isso, Luís Filho foi condenado pelo juiz da 1ª Vara da Justiça Federal no Piauí, Nazareno César Moreira Reis, a devolver o carro.

Segundo a Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público Federal, através do procurador Kelston Pinheiro Lages, Luís Filho comprou, ainda em 2005, uma Hilux no valor de R$ 114.800 com recursos exclusivos para a Educação, através do Fundef, e passou a utilizar o carro como se fosse do Gabinete do Prefeito.

Alertado pela Promotoria de Justiça local, por se tratar de recursos federais, o Ministério Público Federal promoveu a ação. Em sua defesa, o prefeito alegou que a utilização do veículo estava de acordo com a finalidade exigida. No entanto, moradores de Várzea Grande asseguraram que a Hilux serve ao Gabinete do Prefeito, sendo comum o transporte do gestor, de familiares e aliados políticos para eventos na cidade e em outros municípios.

Prefeito de Belém nega envolvimento em uso irregular de recursos do SUS

O prefeito de Belém Duciomar Gomes da Costa (PTB) negou ter conhecimento de que veículos adquiridos com recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) para ações de saúde tenham sido destinados à Guarda Municipal da capital paraense. Ele foi interrogado ontem (14) pelo desembargador federal Cândido Ribeiro, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

De acordo com o procurador da República em Belém Ubiratan Cazetta, a prefeitura comprou, em 2006, 50 motocicletas e 65 carros – 60 do modelo Fiat Siena e cinco caminhonetes Mitsubishi L-200 – com dinheiro do Fundo Nacional de Saúde. Destinados à vigilância epidemiológica e sanitária da Secretaria Municipal de Saúde, os veículos foram utilizados para reforçar a segurança pública.

O procurador alega que a fraude foi constatada por perícia feita a pedido do Ministério Público. “Pelo menos 15 carros e 36 motos utilizados pela Guarda Municipal de Belém foram adquiridos com recursos do SUS”, diz Cazetta. “Na perícia, os carros estavam com o adesivo da Secretaria da Saúde, mas foi constatado que esses adesivos tinham sido recentemente colocados no lugar dos da Guarda Metropolitana.”
MP-PR apresenta três ações por improbidade administrativa contra prefeito
Gilvan Pizzano Agibert é acusado de favorecer empresas em licitação, de fazer publicidade pessoal com verbas da prefeitura e uso indevido de veículo oficial.

Prefeitura alega que acusações não têm procedência

A Promotoria de Justiça de Proteção do Patrimônio Público de Prudentópolis, na região central do estado, apresentou na terça-feira (22) três ações civis públicas por ato de improbidade administrativa contra o prefeito da cidade, Gilvan Pizzano Agibert. O Ministério Público do Paraná (MP-PR) acusa o prefeito de favorecer determinada empresa em licitações do município, de fazer publicidade pessoal à custa de dinheiro público e de uso indevido de veículo oficial.

A última ação, pelo uso indevido de veículo oficial, é contra Agibert. A acusação é de que o prefeito utiliza um carro da frota municipal em horários fora do expediente e para atividades particulares, enquanto frequentava lanchonetes e bares, por exemplo. A ilegalidade, inclusive, já havia sido questionada pela Câmara de Vereadores.

A assessoria da prefeitura afirma que o carro do prefeito não é caracterizado como os outros veículos da frota da prefeitura por uma questão de segurança, seguindo uma orientação da Associação dos Municípios do Paraná (AMP). Agibert usa o veículo oficial para ir até o trabalho e quando fiscaliza obras. Para outras situações, o prefeito usa um carro particular.

Ex-prefeito é condenado por ir a motel em carro oficial

Equipe de TV flagrou Olivan Antônio de Bortoli deixando motel em agosto de 2003. Pena de reclusão foi substituída por prestação de serviços; ele ainda pode recorrer
O ex-prefeito de Campos Borges (RS), Olivan Antônio de Bortoli (PP) foi condenado nesta segunda (18) por ter usado um carro oficial para ir a um motel. Em agosto de 2003, uma equipe da RBS TV flagrou o ex-prefeito deixando o motel depois de se encontrar com uma garota de programa. Ele ainda pode recorrer.

Denunciado pelo Ministério Público, Bortoli foi condenado pela 2ª Vara Criminal de Passo Fundo a dois anos e oito meses de prisão, com proibição de exercer cargo público por cinco anos. A pena de reclusão foi substituída por prestação de serviços à comunidade e pagamento de três salários mínimos a entidade assistencial do município.

Para o juiz Antonio Eliseu Arruda, o fato de o carro oficial ser de uso exclusivo do prefeito não justifica seu uso em atividade estranha à função pública e ofensiva à reputação do cargo.

E, VOLTANDO A SANTA LUZIA...

E numa terceira opção, o carro pode ter sido comprado pelo prefeito com o seu salário. Para isso não há regras só a de que esse bem deve ter todas as despesas de manutenção, abastecimento e pagamento de IPVA dentre outros também pagos pelo prefeito. O dinheiro público só pode ser gasto com despesas de bens públicos. Na Bahia um prefeito foi denunciado ao Ministério Público porque pagou o licenciamento do seu carro com dinheiro do fundeb e isso é ilegal.

Assim, se o carro é propriedade particular, as despesas com ele também são particulares e, como eu sei por informações a mim dadas anterior mente, o carro anterior a esse adquirido agora, era oficial e assim não poderia ser dado como parte do pagamento para esse novo se ele é particular.Então isso dever ser esclarecido. Se for do prefeito, SEM PROBLEMAS o seu salário dá e pode ser usado para esse fim,é do prefeito a responsabilidade da escolha de como e com o quê vai gastar o seu dinheiro, mas e cadê o carro antigo que era da prefeitura?

Interrogações serão feitas sempre e as respostas podem ser dadas pelo blog correio Luziense, se houver alguém disposto a esclarecer, se não, vai ficar por isso mesmo...O que eu sei é que não pega bem um prefeito andar de fusca.

O cara é a figura maior e que deve ser mais respeitada num município, então é bom que esteja bem equipado com um carango legal, mas também não precisava ser uma carruagem, né, gente? MAS pra quem tem uma frota de ônibus, uma hillux até que não é muito luxo não.

DEIXA PRA LÁ!

E SOBRE AQUELE COMENTÁRIO DOS BASTIDORES...

...Não aceitei o comentário feito e não posso incentivá-lo a insistir em me perturbar porque achei tudo o que escreveste de péssimo gosto e de uma insensatez horrível.

Pus no blog que o deputado Adamor faria uma cirurgia e por isso ficaria em silêncio e tem gente tão mesquinha e podre que chegou a cogitar que o político ficou doente de propósito pra ter uma desculpa.

Eu não sei até onde a rixa política entre vocês pode chegar,mas quero lembrar que não sou nem Oliveira e nem Xavier, sou Vieira. Tenho os meus princípios e as minhas próprias ideologias. Não sou contra o Louro e muito menos desejo mal ao deputado, mas não vou aceitar aqui neste blog certas ofensas que sei bem são infundadas e questionáveis.

Meu blog não precisa de ti pra ter ibope como um outro que depois que teus comentários saíram de lá, recebeu três visitas por dia. Por isso voltaste, a tua podridão dá visitas e alicerces às fofocas e fofocas dão ibope, por isso a enquete não foi e nem está sendo respeitada.

NINGUÉM PEDE A DEUS PRA FICAR doente, nem o mais vil dos seres humanos.

Há um outro motivo de eu não aceitar teus comentários, AMIGO, mas esse eu deixo pra última hora quando a tua surpresa for finalizada por completo. Continua escrevendo, mande mais alguns recados. Estamos te fisgando! A isca vai adentrar a tua garganta e no final será como diz o ditado, quem rir por último rir melhor.

Não sou Judas como dizes, apenas divulgo os erros que são praticados por vocês. Não posso ser chamada de Judas por isso, por esclarecer às pessoas que muita coisa está errada.

Não preciso nem do PT nem do PR, tenho a minha vida e estou bem assim, mas não posso deixar de divulgar o que os noticiários têm feito questão de expôr. Se não querem notícias negativas sobre o município façam a boa política, corram por rumos certos, trabalhem.

Não discuta comigo,a manchete e os números não são meus,apenas os transcrevi. Chame ao jornal de mentiroso. Processe o CGU que é o responsável pelos números. Atire nos incompetentes que trabalham sugando o dinheiro público não em mim que estou aqui a duzentos quilômetros dessa podridão toda.

A ERRADA AQUI NÃO SOU EU, eu nunca tive nenhum cargo político neste governo. Não tente desviar a atenção do povo. O que é bom eu divulgo, seja de Oliveira ou de Xavier , seja Lucena ou Alves. O que eu não admito é o poder que vocês querem ter de tapar os nossos olhos diante de tantos fatos e evidências.

Não me ameace eu não vou ser demitida porque não ganhei nenhum emprego - esse papo só cola com os daí. Estudei e me esforcei para chegar onde estou. O problema de muitos os que estão aí é que nem todo mundo pode ser ameaçado como a maioria. E EU NÃO POSSO!

DIVULGUEI A MATÉRIA SIM. Porque achei justo e certo. Vocês me deram tempo pra isso. Se tivessem investido em lazer eu não teria voltado para Belém e não teria como divulgar as páginas do jornal. Mas...eu estive aí, passei mal sem ter o que fazer e voltei...domingo, justamente no dia em que o Liberal expôs na capa a manchete. AZAR DE VOCÊS.

Se fizessem a coisa certa...a manchete não saía. Agora querem me afrontar como se eu tivesse errada. KKKKKKKK, faz-me rir.

Quando o governo acertar eu não tenho medo e nem vergonha de aplaudir, mas ele errar pode esperar que a gente vaia. O que eu estou cobrando é o que nos é obrigatório por direito: RESPEITO! Respeito com o povo, com as verbas, com as pessoas...

Não se chateie comigo e por favor, não envergonhe os nossos ideais.

BATE-PAPO: EDNO ALVES

E nesses três dias em férias em Santa Luzia eu fiz algumas imagens e provoquei muitas conversas para somar às matérias do blog.

Fui a alguns lugares, visitei alguns amigos e registrei muitos depoimentos que é para ir postando conforme os nossos interesses e de tudo o que eu fiz por lá, me agradou imensamente a visita feita a minha casa do Edno, o candidato mais comentado da cidade.


A candidatura do empresário tem sido motivo de dúvidas, críticas e discussões. Uns, dizem que ele vai passar vergonha, outros afirmam que ele ainda vai surpreender.

Quem é do contra acha que a candidatura do madeireiro é fruto de sua ingenuidade política, aqueles que são a favor afirmam que Santa Luzia só tem a ganhar.

Quem está correto? Infelizmente, só o tempo dirá.

O certo é que a candidatura dele é legal e está dentro de um direito seu - e nosso.

Qualquer cidadão, em dia com suas obrigações legais, pode ser candidato e sonhar com uma vaga no legislativo ou no executivo – o que não significa dizer que a candidatura é certeza de vitória nas urnas, mas o empresário está confiante e diz que não vai baixar a cabeça não.

Me disse que, diferente do que dizem os mais exagerados, seu nome não é conhecido só em Santa Luzia não. Ele tem amigos em outros municípios e que somando os nomes de empresários que apóiam o seu nome no estado todo já são mais de 200 empresas do seu ramo ou diferente dele e que muitos já estão trabalhando em prol de sua candidatura.

O Edno também me informou que desde que a campanha foi iniciada já visitou treze cidade próximas ao 47 e que já tem aliados em todas elas, que no Cachoeira e em Igarapé-açu, sua assessoria vai ter até comitê que é para abarcar a divulgação de seu nome.

O amigo se diz sem dinheiro para fazer uma campanha maior e mais explosiva, mas está confiante no trabalho já feito pelo município e nos favores doados a grandes empresários do estado.

Quer a confiança da população luziense e me afirmou que não pode ver um cristão na sua frente que vai pessoalmente pedir o seu voto.

Este final de semana o candidato estará nas praias mais movimentadas do Pará e vai distribuir santinhos e conversar com as pessoas. Sua campanha vai ser feita assim, no corpo a corpo e, segundo ele, tem funcionado.

Conversei com o Edno sobre a minha impressão em relação ao que o povo tem comentado, que ele não vai ter mil votos e, rindo, ele me disse que não acredita no número porque a ajuda dada ao povo em Santa Luzia nesses anos todos de política é um alicerce que vai garantir mais votos que o comentado. “Se eu tiver só isso de voto, vou ficar triste, muito triste. Não estou pedindo o que dei de volta, mas tudo o que fiz foi feito com honestidade e já diz a vida que o que fazemos de bom teremos a recompensa em dobro!”.

Ele está confiante e isso é bom. Acredita muito em Deus e isso é ótimo. Tem muitos amigos e isso fortifica. O Adamor desistiu do pleito e não é seu inimigo e isso é maravilhoso. Vamos ver no que vai dar.

Da conversa com o Edno eu selecionei alguns motivos que fazem valer a pena voto nele para a ALEPA, vejamos:

1. O Edno, dizem, é forasteiro. Mas quem é verdadeiramente de Santa Luzia nessas eleições? NINGUÉM!

2. O Edno, dizem as más línguas, é sujo com a polícia. IMPOSSÍVEL senão a sua candidatura já teria sido impugnada. Nenhum candidato pode ter registros negativos com a justiça comum ou eleitoral ou ainda problemas com o imposto de renda e os bens declarados à justiça eleitoral. No dia cinco sai o resultado do TRE sobre os nomes dos candidatos e se o nome do Edno passar, tranquilidade, porque assim ele comprova que seu nome está dentro dos ditames da lei.

3. O Edno não está sendo apoiado po candidatos secundários que, sempre, depois do pleito, exiegm influência sobre a participação do poder no curral elitoral. SOZINHO é melhor para o povo porque assim a dívida dele é com a população e não com outras pessoas que, sabemos, exigem dinheiro e cargos. ISSO SIM É UM PROBLEMA.

4. A Campanha do Edno está sendo toda financiada por verbas advindas do seu trabalho e doações do fundo partidário, o que impede de ele, depois de eleito,ter que pagar juros a agiotas que ameaçam e não deixam o político trabalhar direito após as eleições. Nós todos já conhecemos essa historia.

5. O Edno, de todos os candidatos que buscam votos no município, é o único que tem entrada livre nos dois grupos políticos que dividem o município, sendo assim, não iremos ouvir aquelas velhas histórias de que a verba não veio porque o prefeito é inimigo do deputado, como já sabemos aconteceu no 47.

6. O Edno mora em Santa Luzia, tem empresas na cidade e seu filhos, salvos os que estudam, residem lá, assim a população terá mais acesso ao político.

7. O Edno já faz várias promoções sociais sem ser nada politicamente, quem sabe tendo um mandato não tenha mais base econômica para fazer valer os seus projetos.É bom lembrar que o que o empresário faz hoje é por vontade porque ele é cidadão comum como nós e os outros que aí estão fazem por dever e obrigação porque foram eleitos pelo povo para isso. NÃO ESQUEÇAM!

8. Se vencer a eleição o Edno se distancia do pleito para a prefeitura e o caminho fica livre para...DEIXA PRA LÁ!

9. Ganhando ou não, o voto no Edno, no mínimo, nos isenta da responsabilidade de ter ajudado a apoiar mais um deputado que ganha e esquece de nós. O IMPORTANTE em votar no Edno é a nossa crença em fazer o melhor e não contribuir para piorar a vida política e econômica de nosso estado. PERDENDO ou GANHANDO, importa mesmo é que fomos às urnas conscientes e não manobrados por esse ou por aquele político. PIOR QUE A DERROTA é ter que conviver com a consciência pesada!

Não é justo votarmos pela certeza da vitória, nosso voto não é um jogo de alvo certo. Votamos pelo que acreditamos. Votamos pelas melhorias que queremos.


Se todos aqueles que estão pensando "não voto no Edno porque ele vai perder" fossem às urnas e votassem nele, ele seria eleito. PENSEM NISSO!

E POR FALAR EM EDNO...

Quando o Edno esteve lá na casa da mamãe, ele levou junto a Fia e a Maria Eduarda que me surpreendeu...ESTÁ LINDA E IMENSA!

FIQUEI ABSURDAMENTE ENCANTADA COM A GAROTINHA...

Eu havia visitado a Maria Eduarda aqui em Belém num dia em que fui ver a Fia depois do acidente com o Kayo. Fiz algumas fotos e postei no blog. No domingo, quando eles estiveram comigo, fiz outra para comparar a evolução e olha só como ela cresceu...

ANTES...


DEPOIS...

28 de julho de 2010

E MAIS...

E eu recebi, via e-mail, o material de campanha, ATUALIZADO, dos candidatos a deputas estaduais que tiveram o seu nome citado numa de minhas postagens para este blog e agora posto como sinal do espaço que, democraticamente, disponibilizei aqui no Santa Luzia Ponto Com.




E o deputado e candidato à reeleição, o médico Eduardo Costa que nos enviou dois materiais para essa sua nova investida política.



Gostaria de agradecer a assessoria de alguns candidatos pela cordialidade exposta aos e-mail’s a mim enviados e dizer que a intenção do blog não é divulgar esse ou aquele nome, apesar de eu já ter a minha preferência que é o apoio, desta página, ao empresário Edno Alves, mas tornar acessível aos leitores o número e a biografia de cada candidato para que assim, os mesmos, gozando de sua liberdade legal e pessoal, possam fazer as suas escolhas.

OBS: Aqueles que quiserem o material divulgado aqui em nossa página podem enviar o anexo para o e-mail joanadarcsoaresvieira@hotmail.com que a gente posta, mas, só postaremos as legendas de candidatos ligados direta ou indiretamente à nossa cidade, sejam eles de quaisquer partido político ou qualquer corrente ideológica.

27 de julho de 2010

MAS....

Sem querer me envolver na briga entre macacos e papagaios, MAS alguém está exigindo contas de uma resposta e talvez não vá gostar nada nada de ouvir.

Tem gente que lê as coisas e não interpreta os fatos e isso é um problema. MAS como eu sou professora de Língua Portuguesa e tenho deveres com a compreensão de textos vou repetir o parágrafo exposto no Jornal O Liberal deste domingo e interpretá-lo para quem não entendeu a coisa como deveria.

Vamos por parte:

Está escrito no Jornal:

“O município de Santa Luzia do Pará surge como a terceira maior marca de indícios:151. No ano passado foram 90e em 2004 foram 61. Os processos de irregularidades de educação foram 55 de saúde 44”.

Tudo bem? Então vamos ver se você vaio entender o que se passa agora:

O município de Santa Luzia do Pará surge como a terceira maior marca de indícios:151. No ano passado foram 90 e em 2004 foram 61

O número de irregularidades foi de 151. No ano passado 99 (ano passado 2009) e em 2004, 61 é o número de irregularidades. MAS (sem o “i”), em 2004 o prefeito municipal não era o Louro do PT, cuidado com os comentários.

É bom lembrar que o Louro ganhou as eleições de 2004 MAS só assumiu o cargo em janeiro de 2005 e por isso, esses 61 indícios de irregularidades, não pertencem ao seu governo. Eu não gosto dessa briga política por isso: quem está de um lado só enxerga os defeitos do outro.

O ano de 2004 pertence ao pleito de 2000 vencido pelo então motorista de caminhão, Raimundo Nonato, o Nato Costa, lembram? MAS, nada de tirar conclusões rápidas senão vai errar novamente a interpretação. O Nato, pra quem não lembra foi cassado por desvio de verbas em 2003 e quem assumiu o último ano de governo (2004) foi o seu vice, o MICO OLIVEIRA.

HUM...Não quero jogar álcool na fogueira MAS se esse povo petista fosse realmente inteligente já teria dado a resposta que muita gente tem pedido...MAS, infelizmente...

São 99 contra 61, MAS o importante e que os dois lados têm culpa no cartório. Não me joguem pedras...essas são palavras do Jornal O Liberal...

Pelo menos o Mico tem um bom e coerente argumento: seu governo não deu conta de consertar os problemas, no barco quase afundado , deixados pelo prefeito cassado. MAS....

O QUE SANTA LUZIA TEM?

E numa conversa que tive com o amigo Jorginho, geógrafo e entendedor de política, eu lhe fazia uma interrogação que é minha desde que comecei a estudar um pouquinho mais sobre o assunto aqui para o blog:

POR QUE TANTAS CIDADES TÊM UM NÚMERO BEM MAIOR DE ELEITORES MAS NÃO SÃO TÃO DISPUTADAS COMO SANTA LUZIA PELOS CANDIDATOS?

Em se tratando de números, Santa Luzia d Pará tem um montante de 12 mil eleitores ativos. Um número insignificante se compararmos, por exemplo, a nossa cidade com uma outra que faz fronteira conosco, Capitão Poço, que tem em média 31 mil votantes.

Uma numerologia: Nas últimas eleições para prefeito, Diana Belo, da terra da laranja, obteve nas urnas 13 mil votos. Sozinha ela conquistou o que os dois candidatos do 47 não conseguiram juntos. No entanto, não vejo os candidatos brigarem tanto por esse curral eleitoral que é maior do que o nosso e menos disputado. O QUE SANTA LUZIA TEM?

Vejamos: No ano de 2008, o candidato a reeleição Lourival Fernandes de Lima, do PT, conseguiu nas urnas a quantidade de 5658 votos (mais que o número obtido em 2004 que foi de 4951) e todos sabemos que o seu opositor, Mico Oliveira, teve subtraído dessa quantidade 69 miseráveis votos, um total de 11 mil votantes. Dois mil votos a menos que a prefeita Diana Belo que abocanhou 13 mil. Uma incoerência se considerarmos a corrida eleitoral para o pleito entre deputados, senadores e governadores no que tange a disputa pelos votos luzienses.

Sem contar com as abstenções que são altíssimas quando as eleições não são para prefeito. Em Santa Luzia, no último processo eleitoral desse tipo, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou que foram registrados 292 votos brancos, 772 nulos e 3.572 abstenções.

As pessoas não vão às urnas com muita frequência quando o voto é para o legislativo e o executivo estadual. E tem mais, nenhum, NENHUM deputado é eleito só com os votos de Santa Luzia. Segundo informações, o menor partido, somando a sua legenda, precisará, dependendo dos acordos e coligações, de 12 mil votos para eleger um dos seus.

Um outro dado: No ano de 2006, o então vereador e presidente da Câmara Municipal de Santa Luzia, Adamor Aires, candidatou-se a Deputado Estadual pelo PL e foi eleito com a maior votação do seu partido: 23.421 votos. Ou seja duas vezes mais que o número total de votantes em nosso município.

Quem é capaz de atingir esse número disputando a corrida apenas em Santa Luzia? NINGUÉM!

O número significa uma conclusão ÚNICA e ABSOLUTA: Para alcançar uma vaga na Alepa, o luziense teve que atingir o favoritismo não só em Santa Luzia mas também em outros municípios. E as informações da Alepa informam que o Adamor foi votado em 91 Municípios do Estado do Pará. E será assim com todo e qualquer candidato que disputa este ano a uma vaga como a dele.

Isso significa dizer que o nosso bolo é pequeno demais para s tantas bocas que desejam abocanhá-lo. São tantos candidatos que vai nos faltar eleitor. É uma lógica.

Assim, aqui vai a minha dica:

APESAR DE TODOSQUEREREM UMA FATIA, NÃO IMPORTA O TAMANHO DO CORTE FEITO PELA FACA, PORQUE AINDA QUE UM ESPERTINHO COMA O BOLO TODO, ELE NÃO VAI DEGUSTAR O SABOR DA MORDIDA NUMA DAS CADEIRAS DA ALEPA. PODEM CRER!

PARA DEPUTADO, VOTE:

Opções é o que não nos falta:

A SEGUIR A LISTA DAS MAIORES INFLUÊNCIAS POlÍTICAS QUE DISPUTAM O VOTO DOS LUZIENSES:

Nome: Edno Alves

Profissão: Empresário do setor de imóveis e madeireiro

Edno Alves é empresário vindo do Maranhão mas que escolheu para a sua moradia e alicerce dos seus empreendimentos a cidade de Santa Luzia do Pará. Ele já mora no 47 a tanto tempo que tem gente que nasceu pensando que ele era de lá.Se perguntarem desde quando você conhece o Edno em Santa Luzia, com certeza a resposta será: “Desde pequenininho!”. Isso por que faz tanto tempo que ele que ele chegou por lá que a sua imagem faz parte daquele povo. São dezoito anos na Cidade Morena e de lá pra cá tentou aportar em outra cidade do estado e até mesmo fora dele mas não conseguiu.

É “casado” com uma luziense e já tem uma filha que é a cara de Santa Luzia, a Maria Eduarda não nasceu por lá por canta da falta de hospitais e infraestrutura. O Edno Alves é dono de uma das maiores serrarias de cidade e emprega uma bagatela de 1000 pessoas em suas empresas todas, além de beneficiar a população luziense com projetos sociais e esportivos como a vaquejada, o Campeonato de MotoCross, a distribuição de cestas básicas, produtos e patrocínios às escolas, à paróquia e à realização de projetos culturais da cidade.

É gente boa como diríamos na Yamada. Homem simples e pai abatido pela luta em prol da vida dos filho e a morte precoce de um de seus gêmeos.

É candidato ao pleito estadual pela primeira vez , mas já é político conhecido em Santa Luzia quando por duas vezes fez chapa ao cargo de vice-prefeito e agora disponibiliza o seu nome via um dos partidos que apóiam a reeleição de Ana Julia, o PSB. Edno é candidato a deputado estadual com o número 40.299.

Fiz uma biografia do empresário no quadro PERSONALIDADE LUZIENSE e disponibilizo um resumo sobre o candidato para que aqueles que desconhecem a sua historia possam fazer a sua escolha:

(...)Edno Alves é filho único e fruto do Estado do Maranhão. Nascido em família carente. Pai bruto, mãe gentil. Fora carpinteiro, cabo do exército, atuante em serviços gerais de algumas empresas, ajudante de pedreiro, gerente de loja e, hoje, empresário – dos grande, diga-se de passagem. Eu já o conhecia, mas não assim, tão de perto. Tão carente e tão emocionante. Paramos no cantinho da praça da matriz e ele me confessou a sua vida, desvendou segredos sobre a família e me encantou com suas palavras de pai, filho, marido, empresário, homem e sonhador. O Edno é um homem digno, vi no seu olhar abatido, depois de não se sentir mais à vontade pra mentir sabendo que a vida, às vezes, pode ser mais cruel do que se pensa. “Sou filho único e não tenho nem pai nem mãe. Os dois morreram e eu me danei a fazer filho, por isso tenho tantos. Medo de ficar sozinho, ao léu na vida.”, palavras dele. “Minha mãe me ensinou tudo o que eu sei, aprendi na marra e na dor com meu pai e com ela fui educado com afeto e carinho”. “Sou honesto por ela e, apesar de muita gente achar e dizer que sou matador, eu nunca fiz mal pra ninguém. É só puxar a minha ficha, eu nunca nem briguei com ninguém. Por onde chego sou recebido com festa. Nos lugares que morei sempre fui muito popular e as pessoas gostavam de mim. É só você pensar em Santa Luzia mesmo, mal eu cheguei e as pessoas já me tinham como um amigo”. O Edno é muito conhecido pelo seu jeito único de empreendedor: é dono de grandes serrarias, tem empresas conhecidas no norte e nordeste e já chegou a exportar madeira para o exterior, tem imóveis, terras e é proprietário de muitos bens, mas o que mais se destaca nesse homem grande e rico é, sem dúvida, a humildade. O Edno me emocionou a cada vez que abriu a boca e retirou de si os medos e desejos, os sonhos e as realidades. Sobre a vontade de ser prefeito e a carreira política me confessou: “Foi o seu irmão, o Nando, que me meteu nessa vida. Eu sou um cara muito tímido e morria de medo de falar em público, um dia perguntei pra ele se eu podia ser candidato sem precisar fazer discurso e ele disse que era impossível, lascou-se, eu pensei. Achei que eu não ia conseguir, eu queria ser político mas não sabia falar, sou caboclo, você sabe, ganhei muito dinheiro mas sempre fui um cara meio bruto pros estudos. Lembro da primeira vez em que falei num palanque, eu rezei antes da hora e, até mesmo antes de sair de casa, me tranquei num quarto lá da fazenda e pedi pra Deus me ajudar!”. Foi o que me declarou aos risos. O Edno foi candidato à chapa do PSB junto com o Nando que encabeçava o nome para prefeito, mas os dois não obtiveram sucesso. Depois disso, o Edno passou a ser um grande nome na política luziense e foi também candidato a vice na chapa do 22, partido do Mico Oliveira, mas os dois amarguraram a tristeza de ter que perder historicamente por uma diferença ínfima de 69 votos.
(...)Ele me disse que desde muito tempo, 40% de sua renda mensal é destinado para doações: “Ajudo o povo, não me faz falta!”. “Sinto dó dessa gente que tem menos, muito menos que eu!”. O Edno Alves de fato é um homem surpreendente. Conversando comigo me chamou de autoridade das línguas. Humilde, me abraçou várias vezes e me presenteou com muitos sorrisos e, ao final desse longo papo, me agradeceu com um abraço que só os amigos sabem dá, aquele apertado de quem diz: saúde, viva e boa sorte. É o que eu te desejo também, meu amigo. Boa sorte. Sucesso na vida! Fica com Deus. Que tua mãe olhe por ti e cuide da tua família!

Para obter outras informações, projetos, fotos e últimas notícias, acesse:

Não informado


Nome: Márcio Desidério Teixeira Miranda

Profissão: Médico(a)

Área de Atuação: Castanhal, São Miguel do Guamá, São Francisco do Pará, São Domingos do Capim, Irituia, Igarapé-Açú, Dom Eliseu, Magalhães Barata, Marapanim, Inhangapi, Santa Izabel do Pará, Terra Alta, Santa Maria do Pará, Aurora do Pará, Abel Figueiredo e outros..

Médico graduado pela Universidade Federal do Pará, Márcio Miranda é capitão reformado da PM/PA e tem dedicado seu mandato principalmente às causa da saúde e segurança pública. Eleito para o primeiro mandato em 2002, Márcio Miranda obteve 23.996 votos. Em 2006, sua votação aumentou para 60.390, sendo eleito como o terceiro deputado estadual mais votado no Pará e o mais votado no interior do estado (recebeu votos em 134 municípios).

A base eleitoral do deputado está em Castanhal, onde reside e tem atuado na área médica desde 1982. Cirurgião renomado na região, Márcio foi também presidente da Feira Agropecuária de Castanhal (1994 a 1997), presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Castanhal (1994 e 1997), presidente da Associação Paraense dos Profissionais em Controle de Infecção Hospitalar e diretor da Comissão de Controle Hospitalar do Hospital Francisco Magalhães. Na Assembléia Legislativa do Estado do Pará, Márcio Miranda é presidente da Comissão de Educação e Cultura, vice-presidente da Comissão de Segurança e membro da Comissão de Constituição e Justiça.

Filiado ao DEM desde 2003, Márcio Miranda é presidente do Instituto Tancredo Neves no Estado do Pará, no qual realiza atividades político-educacionais. Em 2004, Márcio Miranda fundou e é o mantenedor do Instituto de Capacitação Profissional e Valorização Humana Mercina Miranda (IMM), que em seu primeiro ano de atuação, formou mais de 800 profissionais, através de cursos de capacitação, leva extensão rural a famílias de produtores de Castanhal, oferece inclusão digital a alunos da escola pública e leva ainda atendimento médico a mais de 1.000 pessoas por mês, através do programa “Vida Longa Mulher”.

Para obter outras informações, projetos, fotos e últimas notícias, acesse:

Site Pessoal: http://www.marciomiranda.com.br
Email: marciomiranda@alepa.pa.gov.br


Nome: Simone Maria Morgado Ferreira

Nome Parlamentar: Simone Morgado

Profissão: Economista

Área de Atuação: Belém e região nordeste, com destaque para os municípios de Bragança, Augusto Corrêa, Tracuateua, Viseu, Capanema, São João de Pirabas, São Caetano de Odivelas, Marapanim, Maracanã, Santa Maria do Pará e Santa Luzia do Pará..

Aos 43 anos, a deputada Simone Morgado (PMDB), é uma das eminentes representantes da nova geração de políticos do Estado do Pará. Na eleição de 2006, conquistou um assento na Assembleia Legislativa, com mais de 21 mil votos, metade deles oriundos de Bragança, um recorde de votação em toda a história política da sua cidade do coração. Foi na “Pérola do Caeté” que Simone passou a infância e a adolescência e iniciou sua atividade política.

Simone é economista e auditora fiscal da Secretaria de Estado da Fazenda, e sócia-proprietária da Fábrica de Refrigerantes Soberano. È divorciada e tem três filhos.

Eleita vereadora em 2004, acredita que foi da tribuna da Câmara de Bragança que descobriu sua verdadeira vocação. Lá travou seus primeiros desafios como parlamentar. Lutou para que a Lei Orgânica do município fosse realmente cumprida, levantou a voz no combate à violência contra a mulher, e emprestou força, garra e sensibilidade para o fortalecimento do PMDB no município. Uma luta que valeu a pena, sempre fala com orgulho. Sua passagem pela vereança também foi marcada por defesas memoráveis do incremento ao turismo, da valorização da cultura e de políticas públicas voltadas para o bem-estar da população.

Desde 2007, quando assumiu uma cadeira no parlamento estadual, vem se destacando como uma grande defensora da região nordeste do Pará, principalmente no que se refere ao setor produtivo. Turismo, pesca e agricultura são as principais atividades da região e muitas de suas ações são voltadas para a captação de recursos destinados à implantação de projetos ligados a esses setores, gerando, com isso, mais emprego e renda para a população.

Em seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa, Simone Morgado comanda uma das mais importantes comissões da Casa, a de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO), por onde passam todas as peças referentes ao orçamento do Estado enviadas pelo Executivo. Dentre as leis, originadas de projetos de sua autoria, destacam-se a que declarou a Marujada de Bragança e a dança do Carimbó como patrimônios culturais e artísticos do Pará, e ainda a que instituiu a data de 2 de agosto, o Dia do Doador Voluntário de Sangue, o que lhe rendeu um troféu de Honra ao Mérito durante as comemorações dos 30 anos do Hemopa, em 2008.

A deputada foi membro da Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou a exploração e abuso sexual de crianças e adolescentes no Pará. E já propôs a criação de uma Frente Parlamentar, para estabelecer um canal permanente de denúncias contra esses crimes que roubam a infância de meninos e meninas.

Para obter outras informações, projetos, fotos e últimas notícias, acesse:

Email: depsimonemorgado@alepa.pa.gov.br
Site Pessoal: www.simonemorgado.blogspot.com

Nome: Alessandro Albuquerque Novelino

Nome Parlamentar: Alessandro Novelino

Profissão: Empresário

Área de Atuação: Belém e região do Marajó.

Alessandro Novelino início sua carreira política no ano de 2003, sendo eleito nas eleições de 2002, pela legenda do ex (PL) tendo aproximadamente 28.000 votos, em sua maioria na região do Marajó. Neste mandato apresentou inúmeros projetos de relevante valor, tais como: o Projeto de gás veicular, dando início à construção da GASPARÁ empresa de economia mista subsidiada pelo governo do estado. Foi líder da bancada do partido durante este primeiro mandato, apresentando inúmeras proposições em benefício do estado do Pará, sendo ainda membro da Comissão Permanente de Transporte. No ano de 2006 reelegeu-se deputado estadual pelo PSC (Partido Social Cristão), sendo eleito com aproximadamente 36.000 votos, durante o atual mandato apresentou vários projetos e inúmeras proposições em favor do estado do Pará, especialmente nas regiões do Marajó, Sul e Sudeste do estado. Atualmente é líder da bancada. Considerado uma jovem liderança da política se destaca como um grande parlamentar defendendo o povo paraense, independentemente da região, usando a tribuna para apresentar seus Projetos de Lei, Projetos de Indicação, Projetos de Decreto Legislativo, Emendas Supressivas e Moções.

Para obter outras informações, projetos, fotos e últimas notícias, acesse:

Email: depalessandro@alepa.pa.gov.br
Site Pessoal: em construção.


Nome: Carlos Alberto Barros Bordalo

Nome Parlamentar: Carlos Bordalo

Profissão: Administrador

Área de Atuação: Belém e Região Nordeste do Estado.

Carlos Alberto Barros Bordalo, 51 anos, cursou letras na UFPA e tem formação em Administração e Planejamento Estratégico. Boa parte de sua vida, quase 30 anos, foi dedicada à defesa da cidadania, da justiça e do desenvolvimento econômico e social de todas as regiões de nosso estado. Morando no bairro da Sacramenta em Belém, desde sua infância até o início da juventude, pôde vivenciar os graves problemas que afligiam a população da periferia da cidade, situação que o levou a dar os primeiros passos na organização dos movimentos sociais e conseqüentemente o engajamento na construção de um dos maiores partidos do Brasil, que é o Partido dos Trabalhadores.

Na década de 70, quando várias áreas de diversos bairros da periferia de Belém pertenciam a alguns latifundiários urbanos, Bordalo esteve à frente do Movimento Pelo Direito de Morar. Através desse movimento Milhares de famílias conquistaram o direito de ter um lote de terra para a construção de suas casas e viverem com dignidade. Ainda nos anos 70, Bordalo passou a compor a equipe de técnicos da Federação de Órgãos para a Assistência Social e Educação (FASE) onde desenvolveu atividades na área de educação popular e formulação de projetos. Atuando como educador popular em Belém, Bordalo contribuiu para a formação política e organização de trabalhadores de várias categorias, o que resultou no surgimento de alguns sindicatos fortes e combativos como o dos rodoviários e da construção civil. A atividade de técnico da FASE o levou a trabalhar na região Nordeste do Pará. A partir dos anos 80, Bordalo esteve presente na organização dos sindicatos de trabalhadores rurais contribuindo com a elaboração de estratégias e projetos voltados para a inclusão econômica e social da maioria da população daquela região.

Junto com os pequenos produtores construiu um grande movimento para cobrar dos governos a criação de linha de crédito acessível, assistência técnica, maiores investimentos em saúde, educação e infra-estrutura. Após vários anos de luta e persistência as conquistas foram surgindo e o modelo de produção baseado na agricultura familiar se fortaleceu, contribuindo significativamente para a melhoria da produção e da renda do trabalhador rural.

A partir de 2001, Bordalo coordenou a Secretaria Municipal de Economia e o Banco do Povo. Neste, criou agências nos distritos de Icoaraci e Mosqueiro, ampliou de 11 para 22 o número de agentes e abriu novas linhas de crédito, financiou 18 mil empreendimentos, gerando 107 mil novos empregos, totalizando 24 milhões de Reais.

Ao aceitar o desafio de ser vereador, Bordalo continuou trabalhando pela geração de mais empregos e melhorar ainda mais a qualidade de vida da população de Belém. Eleito com votação consagradora (6.188 votos) nas eleições de 2004. Na Câmara apresentou importantes projetos, emendas e requerimentos que buscam a melhoria da qualidade de vida da população.

Em 2006 aceitou o desafio de concorrer à uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado do Pará. Com propósitos de melhorar a desenvolver a qualidade de vida da população paraense, Bordalo ganhou as eleições com 26.608 votos.

No Parlamento estadual, Bordalo luta pelos direitos do povo do Pará. É um dos mais presentes, sendo inclusive citado como um dos deputados mais frequentes. O deputado também faz parte do Conselho Estadual de Segurança do Estado, o Consep. Bordalo é mebro titular, representando a Assembleia Legislativa.

Bordalo também aparece como um dos parlamentares que mais apresenta projetos de lei, sendo, na sua maioria, projetos que desenvolvem a região. A maioria dos seus projetos já viraram leis, e abordam temas como: segurança pública, saúde, turismo, lazer e desenvolvimento social.

Para obter outras informações, projetos, fotos e últimas notícias, acesse:

Email: bordalo13@yahoo.com.br
Site Pessoal: http://www.bordalo13.blogspot.com

Nome: José Eduardo Pereira da Costa

Nome Parlamentar: Eduardo Costa

Profissão: Formado em medicina. Detém concessão de radiodifusão em Capanema.

Área de Atuação: Municípios do nordeste do Pará.

Eduardo Costa é médico e empresário e filho do renomado doutor Jorge Netto Costa, que também foi deputado federal e por duas vezes governou Capanema.

Vindo de uma família muito conhecida que aportou na cidade de Capenema ele ficou igualmente conhecido Jorge Netto Costa foi um pioneiro na medicina na região nordeste do Estado. Seu pai mudou com a família para Capanema e montou seu próprio hospital. Além de ter construído o primeiro hospital, o São Joaquim. É um dentre os filhos que o pai formou em medicina: Mylene, Jorge, Eduardo, Cilene e Darlene e que até hoje continuam clinicando no interior do Estado.

José Eduardo Pereira da Costa tem um histórico de filiações partidárias que passam pelo PST (2001-2003), PV (2003-2005), PTB (2005- ) e na última eleição recebeu 34.055 votos chegando a ser votado em mais de 100 municípios e atingindo a candidatura pelo PTB.

Apesar de exercer o cargo de deputado, não há na página da Alepa nenhuma biografia postada por ele. INFELIZMENTE!

Para obter outras informações, projetos, fotos e últimas notícias, acesse:

Site pessoal: em construção.
e-mail: depeduardocosta@alepa.pa.gov.br


Nome: Valdir GanzerNome Parlamentar: Valdir Ganzer

Profissão: Agricultor

Área de Atuação: Movimentos sociais populares, sindicatos e lideranças inorgânicas, com atuação nas regiões guajarina, marajó, salgado, bragantina, tocantina, sul do estado, tendo inserções menores na região oeste e sudeste do estado..

Valdir Ganzer nasceu em Iraí, no Rio Grande do Sul. Ele vem de uma família camponesa de onze irmãos que se transferiu para a Transamazônica em 1973. Na região, ainda muito jovem, abraçou a luta pela melhoria da qualidade de vida e da produção no meio rural.

Em 1974 já participava da Pastoral da Juventude, fazendo parte de um trabalho social inspirado na Teologia da Libertação e da Enxada. Em 1977 começou a participar do trabalho sindical e em 1980 contribuiu com a conquista do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santarém.

Em 1983 foi eleito presidente do Diretório Municipal do PT de Santarém e, em 1986, foi eleito deputado estadual pelas regiões do Baixo-Amazonas e Transamazônica, se tornando o primeiro parlamentar camponês da história da Amazônia. Seu primeiro mandato teve uma atuação destacada no processo constituinte e serviu para denunciar as irregularidades e a violência no campo.

Em 1990 tornou-se o primeiro lavrador da Amazônia a se eleger deputado federal. Em Brasília era defensor dos movimentos sociais e um representante da Federação dos Trabalhadores na Agricultura e do Movimento pela Sobrevivência da Transamazônica. Contribuiu para construir os Gritos do Campo, Grito da Amazônia e os Gritos da Terra. Seu mandato ajudou a garantir acesso ao crédito e denunciou os desvios do Fundo Constitucional do Norte.

Por seu trabalho, Ganzer foi indicado candidato a governador pelo PT em 1994 e obteve surpreendentes 30% dos votos de Belém e 19% do estado. Esse desempenho contribuiu para preparar as vitórias eleitorais da eleição seguinte, culminando com a conquista da prefeitura de Belém pelo PT. No Governo do Povo, Ganzer foi Secretário de Economia, criou o Banco do Povo, requalificou a Praça do Operário e o cartão postal de Belém - o novo Ver-o-peso.

Por isso em 1998 foi eleito deputado federal com votação dobrada, mais de 53 mil votos. Em 2000 tornou-se vice-prefeito de Belém, contribuindo para a consolidação dos programas da gestão petista. Em 2002 e 2006 foi eleito deputado estadual, sempre com votação crescente e desempenhando um papel mais importante na consolidação do trabalho que o Partido dos Trabalhadores desenvolve.

A história de Valdir Ganzer é ligada às marcas estabelecidas pelo trabalho do PT. Construtor do projeto popular, Ganzer ajudou a implementar as principais marcas do governo federal no Pará, seja na área da alfabetização, incentivo à produção no campo, luz para todos ou Bolsa Família.

Nos últimos três anos Ganzer contribuiu com o governo popular de Ana Júlia, estando à frente das obras da Secretaria Estadual de Transportes.

Para obter outras informações, projetos, fotos e últimas notícias, acesse:

Email: ganzer@ganzer.com
Site Pessoal: www.valdirganzer.com.br


OBS:os números dos candidatos que não foram expostos não foram divulgados pela ausência de informaçoes ao blog. eleitores que tenham o acesso podem enviar ao blog que postamos.

26 de julho de 2010

SILÊNCIO!

E o deputado Adamor Aires não pode falar no momento...É que ele vai passar hoje por uma Colecistectomia videolaparoscópica.

Calma, calma, calma. O deputado fará uma pequena cirurgia na Vesícula Biliar. Colecistectomia videolaparoscópica é o termo médico para este procedimento, mas a operação na vesícula é uma cirurgia simples e a maioria já é realizada por via laparoscópica . Ao invés de incisões de 20 a 30 cm de extensão , a operação é realizada através de quatro pequenos orifícios de 0,5 cm no abdomen. A dor pós-operatória é muito menor que a da cirurgia convencional.

No passado, quando o cirurgião recomendava uma operação de vesícula o paciente ficava com uma cicatriz imensa e ficava no hospital por uma semana sem poder voltar as atividades normais em menos de 6 semanas . Hoje, o paciente fica um dia internado no hospital e retorna às atividades normais em 10 a 15 dias.

Tudo correrá bem e logo logo ele estará de volta...Assim que der, eu falo com ele, no momento é até inconveniente!

Deus o abençoe! SORTE na volta, deputado!

Estamos torcendo pela sua recuperação. Que ela seja rápida e nada dolorosa!

E POR FALAR EM ELEIÇÃO...

Em ano eleitoral em Santa Luzia o “bicho pega”. Lá, a ida às urnas é tão agitada que a nossa cidade foi uma dentre as 18 escolhidas pelo TRE a receber reforço do exército e até mesmo, este ano, da Força Nacional - é o que diz as colunas dos jornais que circularam a semana passada na capital.

MAS...este pleito parece que não promete muito. O clima de discussão acerca do voto dos compatriotas luzienses está indo de vento e polpa , porém a corrida eleitoral e as preliminares para o mês de outubro estão pra lá de mornas. O MOTIVO? A saída do, até então, deputado estadual Adamor Aires.

Política animada mesma é quando os Oliveiras estão por dentro!”, me disse uma amiga decepcionada com a desistência do luziense com as maiores chances na disputa por uma vaga na ALEPA.

Adamor Aires deu um stop na vida política para entrar nas discussões das vizinhas, os papos dos amigos, as conversas de portas e calçadas dos eleitores todos.

Qual o real motivo dessa pausa do político idolatrado por muitos no município? O que faria o deputado ter voltado atrás em sua decisão? Falta de dinheiro? Falta de apoio? Vergonha de subir ao palanque e pedir apoio à petista Ana Julia? Férias? Cansaço? Medo?

A população está aflita e manda avisar: O fato de o deputado apoiar não é a mesma coisa de ele se candidatar e com isso, só quem tem a ganhar é o empresário Edno Alves, que entrou assim meio tímido e constrangido na disputa, mas agora tem ganhado apoio e adeptos à sua candidatura.

O estreante Edno Alves é a opção da falta de opção do povo luziense. Um bom nome que, parece, vai surpreender...

Conversei com alguns amigos e comerciantes e o nome do Edno é a primeira opção depois da desistência do Adamor Aires.

Muita gente em Santa Luzia ficou sem saber o que fazer com o voto depois da notícia de que o deputado luziense não iria entrar mais na empreitada (ATÉ EU!).

Tentei contato com o Adamor, mas não consegui. Em Santa Luzia não tenho como fazer algumas entrevistas por falta de área, meu tel é TIM e a rede de lá recusa a tentativa de ligação. Vou tentar um contato com ele ainda esta semana pra quem sabe uma conversa sobre as suas ideias e projetos.

Não penso que o Adamor desistiu assim por covardia, como dizem alguns. Sei desde uma conversa que tivemos que ele já planejava essa pausa por motivos político e pessoais.

O deputado também não desistiu por conta de qualquer tipo de rejeição de seu nome no TRE porque ele, o ADAMOR, está com o nome limpo no cartório e é FICHA LIMPA!
Portanto, aos mais extremistas,um aviso, descartem esse argumento porque ele é totalmente e absolutamente inválido.

O certo é que o deputado Marcio Miranda vai sim ganhar umas centenas de votos dos eleitores fiéis ao Adamor, mas muita gente, depois que ele abdicou da disputa, tem se sentido livre, leve e solta para fazer as suas próprias opções. O que é licito e coerente. O voto, desde muito tempo, deixou de ser de cabresto, e pelo que eu sei, vindo das palavras do próprio Edno, o Adamor tem deixado o seu eleitorado liberto para votar em outras opções que não sejam as suas.

Isso prova que o bolo pode ser repartido entre muitos, mas o maior pedaço, perece mesmo, que quem vai abocanhar é o Edno Alves. Vamos ver...

E eu estou torcendo!