3 de maio de 2010

Parabéns, Conchetta!!!


E amanhã é o aniversário da Conthy.Passei pelo álbum do Ederson e como disse dei de cara com uma foto da Conchetta com o seu filhinho no colo, o Eduardo. Não sei se eu sou de outro mundo ou se eu me sensibilizo com certas coisas que ninguém percebe. Foi assim quando eu vi a imagem da professora Olímpia com a Andréa pequenina e postei o texto aqui sobre a impressão que ficou em mim. O sorriso da professora naquela foto com a sua cria no colo é o mesmo que a Conthy traz no rosto ao agarrar o seu filhotinho num abraço de mãe consciente do amor que sente pelo filho.


Olhei a imagem e intimamente me fiz algumas perguntas. PORQUÊS que a vida nunca soube me explicar, interrogações que o destino sempre deixa sem respostas. Tanta gente ruim por ai livre de dores e cruzes e outras tão boas e que carregam pesos tão imensos. O que levaria Deus a retirar de um filho como o Edu e a Andréia o afago e o carinho da mãe? O que quer a vida diminuindo dessas crianças o amor e a convivência com o cuidado materno? Eu realmente não sei, mas os que crêem, aqueles que acreditam, sabem que para tudo existe um motivo, uma razão. Eu não sou muito de entender e me sinto uma ignorante quando o assunto é fé, crença, missão, mas vendo as duas fotos, eu acabo entendendo dentro de uma visão só minha, que certas situações que acontecem com os outros servem para ensinar a nós, a nós que estamos bem e não percebemos, a nós que somos poupados e não agradecemos, a nós que reclamamos de tudo sem uma razão convincente, a nós, os vivos, normais e ingratos do amor e da oportunidade que a vida tem nos dado. Desde que fui à casa da Conchetta a sua imagem não me saiu da cabeça, não é pena, não é angústia, não dó, é amor, pela vida que interrompeu os seus sonhos e que me permite tê-los ainda, amor pelos meus dias sãs, amor pela minha família que está perto de mim, amor pela vida que fez dela o melhor exemplo de que viver é respeitar o próximo, amar os irmãos a cada dia, agradecer pelas horas sadias. Vendo a Conchetta eu agradeço a Deus por eu poder correr, por eu poder sair por ai, viajar, beijar a minha filha, amar a minha mãe.

Aprendi com a dor dela que eu não sinto dor nenhuma, que reclamar é coisa de quem não tem o que fazer. Observando o seu filhote sorridente ali pendurado na mãe, eu sinto que Deus deu a ele a chance de ainda ter a mãe por perto, chance que a Andréia não teve e desejou com todas as suas forças em ter.

Não sei o que me reserva o destino, mas se eu tiver que ser um exemplo de garra, de força e luta que eu lute como a Conthy, que eu sobreviva, que eu permaneça, que eu não desista.

AMANHÃ É O TEU ANIVERSÁRIO, AMIGA. PARABÉNS PELO EXEMPLO E PELA PERSEVERANÇA!

FELIZ 04 do 05, Conthy, que Deus esteja contigo e que o teu filhinho possa apagar essa velinha que estará em cima do bolo, é essa imagem que vai marcar a vida dele pra sempre e a tua tambám!

3 comentários:

Gil disse...

Assim eu choro prima!!!!
Obrigada por sempre lembrar da minha amiga, ops: da irmã q não tive.. E assim q a considero!!!!
Essa mulher, mãe, guerreira e muitas outras qualidades, que amanhã completa mais uma primavera.. Te Amo Amiga, pena esta long, pois qria tanto te abraçar bem forte (Teta)...
Bjus...

Vlw primusca..=)
(Samara).

Reinaldo disse...

Júnia, conversando hoje pela manhã com o Ederson, ele me lembrou do aniversário dela que é amanhã, eu estava com essa mesma ideia de lembrar dela no meu blog também. Como sempre fui um amigo muito próximo do Ederson tenho nos meus arquivos algumas fotos dela, e inclusive agora à noitinha tava revirando-os e escolhi uma com o Dudu, que irei postar amanhã. Gosto muito dela também, mas não tenho coragem de vê-la, e também evito tocar no assunto no meu blog para preservá-la juntamente com a família, mas amanhã é um dia especial. parabéns para ela...

Gil disse...
Este comentário foi removido pelo autor.